07 janeiro 2018

Corrida de São Silvestre 2017 por Camilla Pinto, no Eu não fui, mas meu amigo foi...

Olááá! Tudo bem? Primeira participação no “Eu não fui, mas meu amigo foi” de 2018! E quem estreia o ano é a Camilla , corredora de Curitiba. E ela vem nos contar sobre a última Corrida Internacional de São Silvestre. Então, como sempre, não vamos perder tempo... Com vocês, Camilla...
Corrida de São Silvestre 2017
"Desde criança já era encantada pela São Silvestre. A ideia de correr pelas ruas de São Paulo, sempre apinhadas de carros e de gente, e no último dia do ano poder ter a liberdade de correr por ruas "vazias" me fascinava. 

Anos mais tarde, lá estava eu para correr a edição 93 e minha primeira Corrida Internacional de São Silvestre. Infelizmente, não foi do jeito que eu imaginava, pois havia realizado poucos dias antes um procedimento cirúrgico no pé que me impedia de correr. Mesmo assim, fui decidida a pelo menos caminhar os 15 km. Afinal, foram anos de espera.

Nessa estreia fui acompanhada pelo meu marido Eduardo, e um casal de amigos de Curitiba: Ezequiel e Deumira, todos estreantes também. Chegamos a SP na quinta-feira e nos hospedamos em um apto na Brigadeiro, já nos quilômetros finais da temida subida.
Corrida de São Silvestre 2017
Já na primeira noite, foi possível ver uma galera treinando, o que se repetiu durante toda a sexta-feira também. O pessoal estava decidido a encarar o maior desafio da prova sem fazer feio.

Entrega de kits da Corrida de São Silvestre

Na sexta-feira pela manhã fomos até o Ginásio do Ibirapuera para retirarmos os kits. Eu nunca tinha participado de uma prova tão grande e fiquei surpresa com tamanha organização. 
Corrida de São Silvestre 2017
Só tinha visto algo parecido em uma prova que corri em Portugal, a Meia Maratona do Douro Vinhateiro. Como era Europa, não me surpreendi rsrs, mas a São Silvestre não ficou atrás... Vários balcões e baias para atender aos milhares de inscritos.
Corrida de São Silvestre 2017
O kit era legal. Continha, além do número de peito e chip, camiseta, clip button (que já havia recebido também  na Meia Maratona de Santo André), e alguns outros brindes de patrocinadores.
Corrida de São Silvestre 2017

A prova

A conhecida terra da garoa fez jus à fama e lá fomos nós debaixo de chuva nos posicionar em nosso setor de largada. Pelo o que li, este ano, por conta dos pipocas (que é um assunto a parte), o local da largada foi alterado. Ele foi colocado alguns metros a frente e a fiscalização estava grande nos locais de acesso. 
Os setores eram 
  • Azul;
  • Amarelo;
  • Vermelho;
  • Cinza, sendo esse o último. 
Largamos no setor Vermelho e confesso que nunca tinha visto uma prova com tanta gente... Os dois lados da Paulista estavam tomados por corredores de diversas partes do país. 
Corrida de São Silvestre 2017
Alguns seguravam faixas com os nomes das cidades, outros bandeiras de time de futebol e não sei como, milagrosamente, naquele mar de gente, ao nosso lado, estava um grupo de curitibanos. 

Largada da São Silvestre

A largada geral ocorreu pontualmente às 09 horas, mas demorou para começarmos a conseguir caminhar e nos aproximar do pórtico... Finalmente passamos pela largada e pude dar start no relógio. Porém, alguns metros depois, já no final da Paulista, havia um afunilamento e ficamos alguns minutos parados até começar a dispersão.

Começava assim o trotão da São Silvestre rs... Era o que dava pra fazer naquele mar de gente... 

Logo no primeiro quilômetro havia uma boa descida, passamos pelo Pacaembu, Barra Funda (parte ao som da bateria da escola de samba Gaviões da Fiel), Viaduto Orlando Murgel e logo após, no começo da Avenida Rio Branco, já não consegui mais correr. 

Meu marido seguiu sem mim e eu resolvi caminhar os 8 km restantes.  Confesso que foi a melhor parte da prova... 
  Fantasias da Corrida de São Silvestre

Fantasias da Corrida de São Silvestre

Corrida de São Silvestre 2017

Fantasias da Corrida de São Silvestre
Cruzei com muitos fantasiados, parei para tirar várias fotos em cartões postais da cidade e pude olhar com calma e admirada para a esquina mais conhecida de São Paulo, imortalizada por Caetano Veloso na música Sampa.
Corrida de São Silvestre Pipocas
Como o percurso passava 2x por ali, foi possível ver algumas pessoas "burlando" e cortando caminho, mas certamente foram desclassificadas, pois havia um tapete de cronometragem em uma pequena rua bem próxima e os que cortaram caminho não passaram por lá.

Aquele trecho do percurso foi o mais bonito para mim, correr no centro de SP sempre foi uma vontade que tive e pude aproveitar cada pedacinho com muita calma. O percurso passou pelo Largo do Arouche, pelo Viaduto do Chá, Teatro Municipal de SP.
Corrida de São Silvestre Pipocas
Finalmente, cheguei ao KM 13, a tão temida subida da Brigadeiro, que realmente dá medo. Não por ser muito íngreme, mas depois de já ter percorrido a maior parte da prova encarar 2 km de subida não é fácil. 
Subida da Brigadeiro São Silvestre
E foi nesse trecho que boa parte começou a caminhar. 
Subida da Brigadeiro São Silvestre
No final da Brigadeiro, mais ou menos no km 14, começa toda a diversão...Para animar a galera na subida várias pessoas distribuíam cervejas, brigadeiros e até mesmo coxinhas. Ali, consegui encontrar o Sergião do canal Corrida no Ar e, claro, parei para tirar uma foto rs
Subida da Brigadeiro São Silvestre
Finalmente, cheguei à Avenida Paulista e, devo confessar, com uma pontinha de tristeza. Diferentemente de outras provas, onde quero logo passar pelo pórtico, essa foi tão divertida que por mim duraria um pouquinho mais. Depois de alternar os 15 km entre trotes, caminhada e paradas para fotos terminei em 2:14:23.

Entrega de medalhas

Logo no começo da Paulista, a fiscalização era grande para retirar os pipocas. Foi assim até o local de entregas das medalhas. 
Medalha São Silvestre
Por ali não passava ninguém sem o número de peito. E tinha tanta gente para entregar as medalhas e a hidratação pós prova que não dava nem tempo de formar uma fila. Organização nota máxima!
Medalha São Silvestre

Pipocas na São Silvestre

Vamos agora ao ponto mais polêmico. 

Antes de me inscrever esse ano, li várias críticas duras à organização da Yescom por conta da prova de 2016 onde, pelo excesso de pipocas, faltou água.

Neste ano, o cerco aos pipocas foi grande por parte dos staffs, além de mensagens de conscientização e placas nos postos de hidratação alertando que a água era apenas para os inscritos. Este ano foram disponibilizados 720.000 copos de água, o que dá 24 copos por pessoa. Sendo assim, de sede ninguém morreria rs
Pipocas na São Silvestre
Mas quando as medidas são tomadas para melhorar a qualidade, alguns dão um "jeitinho" de burlar as regras. Foi isso que a Run Up, uma assessoria de Sorocaba-SP, fez. Conforme amplamente divulgado nas redes sociais, alunos e pelo menos um professor da assessoria xerocaram o numeral 23023. 

Com isso, cerca de 20 pessoas correram como inscritos, pegaram água nos postos de hidratação, pegaram as medalhas e o lanche pós prova e ainda apareceram sorridentes nas fotos oficiais pós prova. Ou seja, elevaram a "pipocagem" ao nível profissional. Espero que tanto a Yescom quanto a Cásper Libero tomem as medidas necessárias para punir os envolvidos.

Terminei a prova encantada pela organização, pela atmosfera da corrida que transforma a executiva Paulista em um ambiente de festa esportiva, pela alegria dos participantes e dos expectadores que saem no portão, acenam dos prédios, dão incentivo... Sobretudo, fiquei mais apaixonada pela cidade de São Paulo.

Certamente estarei lá na edição 94".
Corrida de São Silvestre

Camilla Pinto

Que delícia Camilla! Parabéns pela prova e pelo relato! Claro que você gostaria de ter corrido tudo, mas, como disse, você aproveitou bastante a prova. E isso é o que importa... Você teve muitas histórias para contar...

Eu já participei duas vezes da São Silvestre e realmente é incrível.  O que não é incrível é o que você retratou MUITO bem em seu texto: os pipocas. Aliás, é MUITO incrível, se levarmos em conta a etimologia da palavra (in+crível  inacreditável). Afinal, não dá para acreditar que ainda existam pessoas que façam isso. 


Como é o início de um novo ano, vamos acreditar que o acontecido na São Silvestre 2017 sirva de lição para que isso não se repita em 2018. Fica a esperança, não é? 

Espero que tenha gostado!!!! 

E se você participou de alguma prova maneira e quer compartilhar com a gente, é muito simples... É só mandar seu relato para o viajarcorrendo@gmail.com... 

Até quarta-feira!

Um super beijo,

Carolina

Para se programar para Corrida de São Silvestre, não deixe de conferir o post

Precisando de Hotel em São Paulo? Pesquise e reserve aqui...
Booking.com
Receba conteúdo exclusivo uma vez por mês

Assine nossa newsletter



Reserve nos parceiros do blog Viajar correndo:

Produtos com desconto


Sobre o Autor:
Carolina Belo Sou Carolina Belo, Bióloga e Turismóloga. Busco sempre ser feliz e ver o lado positivo de tudo o que acontece na vida. Gosto de viajar e participar de corridas pelo mundo.

2 comentários:

  1. Ai que tudo! Parabéns para Camila! Eu também estava no setor vermelho, com certeza nos esbarramos por lá (!!!!!). Ainda não publiquei meu post da SS, agora deu até um gás para terminá-lo. Por que foi a MELHOR CORRIDA de todos os tempos, na minha humildezinha opinião! Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu demorei 100 anos para responder aqui, você já deve ter publicado seu post, ha ha ha ha! Vou lá no Casa de Doda conferir...
      Eu quero ir na 100ª edição! Vamos?
      Um super beijo,
      Carolina

      Excluir

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos... Um super beijo...

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search