25 junho 2018

Devoção, uma história de luta, força e vitória no Leia correndo de junho

Olááá! Tudo bem? O mês voou, né? Parece que todo dia é dia de Leia correndo!!! E desta vez, Bruno de Souza trouxe um livro sensibilizante. Qual? Devoção, de Dicky Hoyt. Confira o motivo...

Devoção conta a história de um pai que mudou a sua vida e a vida de seu filho com a corrida.

Com você, Bruno de Souza em mais um Leia correndo.
Livro Devoção de Dick Hoyt

“Foi fuçando no Instagram que encontrei uma foto desse livro. Ao ver na capa esse senhor com uma camiseta do Ironman empurrando seu filho numa cadeira de rodas, imaginei que ali teria uma grande história. 

Apesar de ter diversos vídeos sobre eles no YouTube, confesso que não conhecia a dupla. A melhor maneira de conhecer essa história, sem dúvida foi lendo esta biografia deles.

Devoção 

No livro Dick Hoyt conta a história de seu primeiro filho Rick, que nasceu com paralisia cerebral. Tetraplégico, ele só conseguia controlar alguns movimentos da cabeça. 

Foi graças a um grupo de estudantes de engenheira, que se mobilizaram em desenvolver uma máquina na qual ele pudesse se comunicar utilizando a cabeça (isso nos anos 70), que Rick finalmente pôde se expressar. Antes a comunicação era apenas pelo olhar.

Primeira corrida

Rick ficou sabendo na escola sobre uma corrida beneficente e disse para o seu pai que gostaria de participar para contribuir.

E foi assim que nasceu a equipe Hoyt, como futuramente seriam conhecidos. 

Dick empurrou seu filho Rick em sua cadeira de rodas em uma prova. Mesmo seu pai chegando exausto, ficou gratificado ao ver a alegria e o sorriso do seu filho.
Sabia que havia, finalmente, encontrando uma atividade na qual ambos poderiam praticar juntos e então nunca mais pararam.
“Papai quando estou correndo, não me sinto deficiente”.
Após ler essa frase do seu filho, Dick não teve dúvidas. Dedicou-se aos treinos e logo a dupla estaria participando de diversas provas, até chegarem à maratona e, incrivelmente, ao Ironman.

A corrida de rua no final dos anos 70

Se hoje ao vermos um cadeirante em uma prova aplaudimos e incentivamos, naquela época, não era bem assim. Havia poucos corredores e esses poucos eram bem competitivos. 

Portanto, ao verem um pai empurrando seu filho em uma cadeira de rodas, os outros corredores estranhavam a cena e não eram tão receptivos.

Isso não abalou a equipe Royt que persistiu e todo final de semana participavam de alguma prova.

Eles foram se aprimorando. Melhoraram até o formato da cadeira de rodas. Dick brinca dizendo que se tivesse patenteado aquela cadeira hoje estaria rico. Enfim, correram tanto que logo estavam preparados para um desafio maior ainda... Correr a maratona da cidade na qual eles moravam, a Maratona de Boston.

Maratona de Boston

Lembrando que a resenha do mês passado é sobre um livro que conta tudo sobre essa maratona. 

Correr em Boston não foi tão fácil assim para a dupla. Não por causa da distância, mas pelo motivo de que na primeira tentativa de se inscreverem, foram rejeitados.

Eles correram então outras maratonas e, mesmo obtendo o índice, os organizadores continuavam a rejeitar a inscrição da dupla.

Foram anos tentando se inscrever, até que, então, a organização finalmente cedeu. Um dos fatores que contribuíram para isso foi o destaque que a equipe Hoyt começou a ganhar na mídia.

Sim, você pode!

Essa é a frase que a dupla passou para o mundo. Nas últimas páginas, eles contam histórias sobre diversas  pessoas que se motivaram a partir do exemplo deles.
Este livro é de 2011, mas encontrei com facilidade no site Estante Virtual. E por um preço bem barato. Fica a dica.

Às vezes, o conteúdo é mais valioso que o preço do livro. E esse é o caso deste livro”.
Bruno de Souza

Informações importantes sobre o Livro Devoção
Devoção
Dicky Hoyt
1ª Edição – 2011.
288 páginas.
Editora Nova Conceito.

Gostou do livro Devoção? Ele pode ser encontrado em outros lugares além da Estante Virtual como Bruno indicou. Compre através do link abaixo nas Lojas Americanas. A vantagem é que ainda pode receber uma parte do dinheiro de volta com o Méliuz. Aproveite!


Mais um livro maneiro que o Bruno trouxe para a gente. Mais um momento de reflexão também. Atualmente, vemos muitos cadeirantes nas corridas. Há, inclusive, grupos especializados em proporcionar essa experiência àqueles que não podem.

Você tem vontade de participar desses grupos? Tem um grupo assim na sua cidade? Conte aqui nos comentários... Vamos adorar compartilhar essas ações.
Até quarta-feira.

Um super beijo,

Carolina

Para mais resenhas de livros de corrida, confira o

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter



Reserve nos parceiros do blog Viajar correndo:

Produtos com desconto


Sobre o Autor:
Bruno de Souza Olá, eu sou o Bruno, leitor assíduo e corredor desde 2015. Uni minhas duas paixões: a corrida e a leitura. Assim nasceu o “Leia Correndo”, Estarei aqui com você uma vez por mês trazendo a minha opinião sobre livros desse tema. 

Instagram: @correbrunao

Postar um comentário

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos... Um super beijo...

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search