quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Forte do Leme

Forte Duque de Caxias

Olááá. Tudo bem?  Calma, calma, que em breve teremos novidades de viagens e de corridas diferentes. Enquanto elas não aparecem, voltamos aos passeios interessantes pelo Rio de Janeiro. Vamos visitar um local que há tempos queria ir, mas nunca conseguia. A gente se programava para ir depois do treino, mas sempre chegava antes de abrir e desistia de esperar. Desta vez, fomos diretamente de casa e à tarde. Aí deu tudo certo. Com você, o Forte Duque de Caxias.
O Forte Duque de Caxias era chamado, anteriormente de Forte da Vigia, Forte da Espia e Forte do Leme. Então, já sabemos onde ele está localizado, né? No bairro do Leme, mais precisamente, sobre o Morro do Leme. Foi criado em 1776 para impedir uma possível invasão espanhola. Foi desativado em 1791, mas voltou a funcionar em 1823. Novamente desativado (1831) e reativado (1895), passou a se chamar Forte do Leme em 1895 e, por fim, em 1935, passou a adotar o nome atual: Forte Duque de Caxias. Esse nome é uma homenagem ao Patrono do Exército, Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias


Forte do Leme
Os nomes...
Para chegar é tranquilo... A entrada é no final da Praia do Leme, no complexo de instalações do Exército chamado CEP. Há uma cabine onde se pode adquirir o ingresso para fazer a caminhada até o Forte. Quando fomos, o ingresso custou R$ 4,00. Se estiver chovendo, as visitas não acontecem. O Forte está aberto à visitação de terça a domingo, das 9h30m às 16h30m.
Forte do Leme
Vista do início do caminho...
Assim que o ingresso é adquirido, pode-se seguir para chegar a uma estrada de paralelepípedos, onde a caminhada é iniciada. Ela é bem tranquila, com vários pontos de descanso, em uma estrada arborizada. Na maior parte do tempo há sombra no caminho.
Forte do Leme
Início da subida
Ao longo do trajeto estão distribuídas 15 placas que retratam a Via Sacra.

Forte do Leme
Uma das placas da Via Sacra
Forte do Leme
No meio do caminho as ilhas do Mona Cagarras aparecem...
Ao final da subida, lá está o Forte Duque de Caxias. O ingresso é entregue aqui. Por isso, GUARDE O INGRESSO QUE VOCÊ RECEBEU LÁ EMBAIXO. 


Forte do Leme
Entrada para o Forte Duque de Caxias
Forte do Leme
Corcovado ao fundo...
O espaço conta com um memorial a Caxias, galerias com exposições fixas sobre a história do Forte, sala de vídeo com exibição de filmes, e espaço para a realização de exposições temporárias. Quando fomos, havia a exposição sobre os olhares dos animais.

Forte do Leme
Exposição sobre o olhar dos animais...
A parte externa do Forte é mantida como Área de Proteção Ambiental (APA do Morro do Leme) e, do seu alto, desfruta-se uma vista diferente da que estamos acostumados da barra da baía da Guanabara, do Pão de Açúcar e do Corcovado, da praia de Copacabana, de Niterói e de outras fortificações do entorno. É tudo muito lindo...

Forte do Leme
Praia de Copacabana
Forte do Leme
Barra da Baía de Guanabara 
Forte do Leme
Para visualizar melhor a paisagem...
O forte também conta com dois obuseiros (pequenos canhões) alemães. O que eu achei interessante nesses canhões é que eles possuem embaixo as marcações das direções para onde os tiros seriam direcionados.


Forte do Leme
Os obuseiros...
Forte do Leme
Direção dos tiros... Ilha de Palmas, Cagarras...

Curiosidade...

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Forte manteve-se em prontidão. Em um dia de 1943, um dos soldados de vigia deu o alarme de que vários submarinos alemães estavam próximos à barra da Baía de Guanabara. O Capitão Sadock de Sá ordenou fogo, o que incitou a mesma reação no Forte de Copacabana e nas Fortalezas de Santa Cruz e de São João. Depois de vários minutos de bombardeio, verificou-se que os submarinos eram, na verdade, baleias. Ainda bem que nenhuma delas foi atingida. O Capitão foi submetido à Corte Marcial, mas foi absolvido, pois foi considerado que o país não dispunha de tecnologias (radar, sonar) que pudessem diferenciar uma baleia de um submarino naquela época.

Para terminar nosso passeio, uma dica: não se esqueça de levar uma garrafa de água (e até mesmo um alimento), pois no Forte não há local para venda. Há até um bebedouro com água gelada, mas tendo a garrafa, fica mais fácil para beber.

Espero que tenha gostado...

Até domingo,

Um super beijo



Sobre o Autor:
Carolina Belo Sou Carolina Belo, Bióloga e Turismóloga. Busco sempre ser feliz e ver o lado positivo de tudo o que acontece na vida. Gosto de viajar e participar de corridas pelo mundo.

2 comentários:

  1. Muito legal Caroool,!!! Lugar lindo e dicas super úteis!!!

    Parabéns pelo Blog !! Muito show! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mariza e Karina pela visita! E já sabem, quando vierem ao Rio #temqueir ao Forte Duque de Caxias, heim?
      Um super beijo
      Carolina

      Excluir

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos... Um super beijo...

Pin It button on image hover