01 maio 2016

Capitólio: Paraíso Perdido

Oláááá. Tudo bem??? Depois de visitar a Trilha do Sol, lá fomos nós para o Paraíso Perdido. Saindo do trevo de Capitólio seriam 44 km. Como já estávamos no caminho, foram mais 24 km. Esse local não fica em Capitólio, mas sim em São João Batista da Glória. Não vamos perder tempo então... Partiu Paraíso Perdido.

Paraíso Perdido em Capitólio
De novo, através da MG-050, passamos por um local próximo ao Rio do Turvo. É lá que tem uns restaurantes e de onde parte a maioria dos passeios de barco, lancha e chalana para os cânions. 

O local é um verdadeiro burburinho. Não havia espaço decente para estacionar de tanta gente. No entanto, como não estávamos com fome, passamos direto. 

Mais um pouco a frente, havia uma horda de gente na pista e de carros estacionados. Na volta, percebemos o que era: ali ficava a tal pedra onde todos tiram foto e que mostra os cânions de cima. É uma foto meio que símbolo dessa viagem!

Bom, também passamos pela entrada que leva até a Usina de Furnas. No passeio de lancha do dia seguinte, soubemos que há um mirante maravilhoso lá. Bastava parar e aproveitar. 

A gente pensou em entrar, mas como fico com medo de me enfiar com o carro em lugares desconhecidos, não paramos. Se tivesse dado o “grito” na Cachoeira do Grito isso não teria acontecido, né? Piada interna com quem leu o post sobre a Trilha do Sol, he he he he...

Seguimos e encontramos a placa para o Paraíso Perdido. Da saída da MG-050 até a entrada da atração foram 3,5 km de estrada estreita de terra batida. Era um sufoco para passar dois carros em alguns trechos. 

Antes da entrada, havia uma fila gigante. Esperamos por vários minutos, uma vez que tínhamos que esperar alguém sair para conseguirmos entrar. Pagamos uma taxa de R$ 35,00 para entrar, estacionamos o carro e fomos explorar o ambiente. 

Há uma boa estrutura com 
  • restaurante (com opção de almoço ou lanches);
  • vestiários com chuveiros;
  • churrasqueira;
  • área para camping (descanso e alimentação). 

Antes de visitarmos os poços e as cachoeiras, fizemos um lanche. Como não pode levar alimentos para essas áreas, comemos na área comum mesmo.

Alimentados, pudemos seguir e conhecer as oito cachoeiras e os dezoito poços/piscinas naturais do Ribeirão Quebra Anzol. Exploramos as piscinas próximas a entrada...
Paraíso Perdido em Capitólio
Uma visão de uma das quedas...

Paraíso Perdido em Capitólio
Aproveitando a piscina natural
Passamos por uma mini-trilha e começamos a subir pelas pedras até chegar ao último lugar permitido. A partir dali, seria outra propriedade: o Paraíso Proibido.
Paraíso Perdido em Capitólio
Começando a subir

Paraíso Perdido em Capitólio
Cordinha para dar uma segurança na pedra que parece um sabão...

Paraíso Perdido em Capitólio
Segura a corda para não cair...
Algumas pessoas tentaram subir, mas o “segurança” usava um apito e pedia para que elas voltassem. No entanto, as pessoas que acessavam pelo “lado proibido” desciam e ficavam aproveitando a cachoeira. Eu achei um perigo desnecessário, pois a trilha era bem estreita.
Paraíso Perdido em Capitólio
Chegamos ao máximo permitido... 

Assim como na Trilha do Sol, a água era geladaaaaaaaaa... No entanto, depois de um longo ensaio, consegui mergulhar e foi excelente!!!!!
Paraíso Perdido em Capitólio
O gelo me faz rir, ha ha ha ha ha...

Paraíso Perdido em Capitólio
Acostumando

Paraíso Perdido em Capitólio
Limite do Paraíso Perdido com o Paraíso Proibido
Aproveitamos o sol forte para secar nossas roupas (imaginem a cena, as roupas nas pedras, ha ha ha ha ha) e nos aquecer pós água gelada!
Paraíso Perdido em Capitólio
Teve até visita enquanto o tênis secava...
A volta na estrada de terra foi menos tensa. Afinal, já estava quase na hora de o local fechar. Então, não havia tantos carros indo e, com isso, não ficava tão apertado passar.

Voltamos ao hotel e descansamos para a atividade do dia seguinte: passeio de lancha nos recantos do lago de Furnas.
Paraíso Perdido em Capitólio
Cânions do Lago de Furnas

Caso tenha perdido algum post sobre Capitólio, confira em  

Até quarta-feira

Um super beijo

Carolina

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter



Reserve nos parceiros do blog Viajar correndo:

Produtos com desconto


Sobre o Autor:
Carolina Belo Sou Carolina Belo, Bióloga e Turismóloga. Busco sempre ser feliz e ver o lado positivo de tudo o que acontece na vida. Gosto de viajar e participar de corridas pelo mundo.

4 comentários:

  1. Belíssimo lugar,assim q puder,visitarem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você não se identificou, mas obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Oi Carol,
    tô adorando ler seus posts sobre Capitólio.
    Você usa a GoPro pra fazer suas fotos?
    Beijo,
    Dani.
    Blog Dani Corredora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani! Que bom que você está gostando! Amanhã entrará o último da "série", he he he he...
      Não, eu uso uma Nikon AW 130 para fazer as fotos. Comprei tem pouco tempo, ainda estou aprendendo os recursos, mas estou gostando muito. Queria que fosse a prova d'água para poder correr livre ("afoguei" uma na São Silvestre de 2011, aí aprendi que tem que ser sempre resistente à água, ha ha ha ha).
      Super beijo
      Carolina

      Excluir

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos... Um super beijo...

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search