21 dezembro 2016

Solstícios de Verão e de Inverno e suas comemorações

Olááá! Tudo bem? Este post é para contar um pouco sobre as comemorações ao longo do mundo para a data do Solstício de Verão. Quem sabe ele não motiva uma viagem para vivenciar essas experiências. Vamos lá?

Em junho, eu escrevi sobre Stonehenge e o Solstício de Verão no Hemisfério Norte. Hoje (21/12), às 8h44m, foi o início do inverno nesse hemisfério e o verão foi iniciado, aqui, no Hemisfério Sul. A data é conhecida como Solstício de Verão para quem está abaixo da linha do Equador e Solstício de Inverno para quem vive acima da linha.

Os Solstícios

Como já havia explicado no outro post, o Solstício é o momento em que o Sol atinge o maior grau de afastamento da linha do Equador, no seu aparente movimento no céu. 

Quando ocorre no verão, a duração do dia é a mais longa do ano. Já quando ocorre no inverno, a duração da noite que é a mais longa do ano. Então, por aqui, hoje é o dia mais longo do ano. 

Hummm, então, vamos aproveitar para fazer mais coisas!
Stonehenge e os solstícios de verão
Stonehenge está localizado em um campo aberto de Salisbury

Comemorações de Solstícios na América Latina

Na América Latina, o solstício de verão é motivo para festividades em alguns países como Peru, Bolívia e Equador

Na Bolívia, por exemplo, são feitas diversas cerimônias e debates sobre a cultura, sabedoria e religiosidade dos indígenas e sua importância para a humanidade. Esse evento conta com a presença de pessoas importantes, incluindo o Presidente da Bolívia.

A data também representa um marco no Calendário Maia, que gerou uma interpretação errada sobre o fim do mundo. 

Na verdade, o dia 21 de dezembro de 2012 não sugeria o fim dos tempos, mas sim o fim de um período. Como se fosse uma mudança de século no nosso calendário. Afinal, o Calendário Maia iniciou-se no ano 3114 a.C. e muda de ciclo a cada 394 anos. Esses ciclos são chamados de Baktun. O solstício de verão de 2012 marcou o final do Baktun.

Comemorações de Solstícios no Hemisfério Norte

Como já disse, no Hemisfério Norte, as comemorações são em virtude do Solstício de Inverno. Essas comemorações deram origem a vários costumes hoje relacionados com o Natal.

Os Romanos cultuavam o deus Mitra (ou Mithras), um deus luminoso que incentivava os homens a combaterem as trevas e defenderem a Luz. O nascimento desse Deus era celebrado no dia 25 de dezembro (ohhhh), coincidindo com o Solstício de Inverno e a exaltação da luz.

Na Grécia, o culto ao deus Mitra acabou por confundir-se com o culto ao deus Apolo, conhecido como "Sol Invictus" (Sol Invencível). Segundo fontes, o imperador Aureliano, em 273 d.C, estabeleceu o dia 25 de dezembro como o dia de nascimento do Sol (de novo, 25 de dezembro). 

Para os Celtas, o Solstício de Inverno era também muito importante. Eles o celebravam em uma festa chamada Yule. Tal comemoração relaciona-se com a energia do nascimento. Já que a noite é mais longa, tudo nasce e progressivamente cresce a partir dela. 

São usadas muitas luzes e plantas resistentes nessa festa. Por isso que, atualmente, nas celebrações de Natal, há o hábito de acender velas, como homenagem à luz. Além disso, a árvore símbolo é o pinheiro, uma planta que se mantém sempre verde e viva.

No Egito, também há algumas histórias relacionadas aos solstícios. A que eu mais gosto, claro, é sobre Abu Simbel. O templo foi construído em uma direção em que o sol penetrasse no templo de forma a iluminar o rostos de Amon Rá e Ramsés II, deixando apenas o rosto do deus Ptah (deus das trevas) no escuro. Isso ocorre precisamente 61 dias antes e 61 dias depois do solstício de inverno. 
Templo de Abu Simbel e as estátuas gigantes de Ramsés II
Templo de Abu Simbel e as estátuas gigantes de Ramsés II
Esse espetáculo mobiliza, todos os anos, diversas pessoas nos dias 21 de fevereiro e 21 de outubro. Os ingressos esgotam-se rapidamente, então, caso você tenha interesse de vivenciar isso, programe-se com antecedência.

Com o enfraquecimento das religiões pagãs, a data em que se comemoravam as festas do "Sol Vencedor" passou a ser referência ao nascimento de Jesus, o Natal. Isso se destinava a incorporar as festividades de inúmeras comunidades recém-convertidas ao cristianismo e também afirmar que Jesus era uma luz na vida das pessoas. Interessante, né?

Outras comemorações para o Solstício

Há até eventos artísticos que foram inspirados no Solstício

Em Petrópolis, na região Serrana do Rio, por exemplo, os solstícios são marcados por atrações culturais. Desde 2010, ocorre o Solstício do Som. Um nome criativo, não é? 

Quatro amigos tiveram a ideia de organizar um evento com o intuito de disseminar na cidade uma prática bastante comum em vários lugares do mundo. Inspirado na Fête-de-la-Musique parisiense, evento que ocorre no solstício de verão do hemisfério norte, surgiu o Solstício do Som. 

O objetivo é levar atrações musicais, amadoras e profissionais para as ruas, evidenciando a vocação artística petropolitana. Hoje o evento já está na sua 13ª edição. Em 2016, ele começou no dia 1º de dezembro e vai até hoje, 21 de dezembro.

Como se pode ver, as comemorações dos Solstícios realizadas ao longo do mundo atraem turistas. Isso pode ser bom para a economia local e também para difusão da cultura de um povo. 

Apesar de ser um fenômeno astronômico, a data do Solstício ainda é envolta de muito misticismo. Independente disso, já que hoje é o maior dia do ano, vamos aproveitar!!!

Até domingo.

Um super beijo

Carolina


Para saber mais sobre o Solstício, acesse:


Para saber mais sobre Abu Simbel, acesse:

Precisando de hotel para acompanhar as comemorações dos solstícios no mundo?
Reserve pelo link do blog do Booking. 
Você não paga a mais e ainda ajuda o Viajar correndo a receber uma comissão.
Booking.com

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter



Reserve nos parceiros do blog Viajar correndo:

Produtos com desconto


Sobre o Autor:
Carolina Belo Sou Carolina Belo, Bióloga e Turismóloga. Busco sempre ser feliz e ver o lado positivo de tudo o que acontece na vida. Gosto de viajar e participar de corridas pelo mundo.

4 comentários:

  1. Engraçado... eu sempre gostei dessa palavra: solstício...rsss.. achava diferente, legal de pronunciar...rsss.. agora, depois de ler o post, achei-a ainda mais interessante! Quanta coisa ligada a ela!!! Muito bacana!!
    Valeu, migaaaa!
    Beijos!

    http://blogdaana.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!!! Realmente, ela soa bem... Solstício,ha ha ha ha... A gente tem umas coisas doidas, né? Eu, por exemplo, quando alguém fala: "capricho, caprichoso", sei lá o porquê, eu me lembro de "cachorro quente". É tudo maluquice, ha ha ha ha...
      Massssss, voltando ao solstício... Há muitos assuntos relacionados a ele mesmo. E a gente, muitas vezes, nem se dá conta, né?
      Um super beijo!!!
      Carolina

      Excluir
  2. Amei o post! Estive no Peru algums semanas antes do solstício e já era uma animação só. É incrível ver em Machu Picchu como a data coincide com uma posição certeira do sol nas rochas.
    Tem um quê de místico nisso tudo q me atrai demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo essas coisas misteriosas, Aline! E aí surgem várias teorias para explicar como isso tudo foi feito e tals... Mesmo não sabendo como foram feitos, amo isso tudo.
      Um super beijo e mil desculpas pela demora! Simplesmente, não recebi aviso de novos comentários e, quando vi, vários perdidos...
      Obrigada pela visita!
      Carolina

      Excluir

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos...
Responderei o mais breve possível! Então, volte para ver sua resposta. Ou então, bem mais fácil: marque o "notifique-me" para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.
Um super beijo...

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search