28 março 2018

Corrida das Pontes do Recife, aprendendo história correndo em 10 km pelas pontes da cidade

Olááá! Tudo bem? Depois de uma espera de quase oito anos, eis que tive a oportunidade de participar da Corrida das Pontes do Recife em 2018. A prova aconteceu no domingo passado e, é claro, que eu precisava falar sobre ela hoje. Então, pegue o seu guarda-sol e seus óculos escuros e vem comigo para a Corrida das Pontes do Recife.

Não é novidade para ninguém que Recife é conhecida como a Veneza Brasileira. Afinal, são vários rios e canais na cidade. Sendo assim, para fazer jus ao nome, é lógico que Recife deveria ter uma porção de pontes para unir as suas diversas partes.

Na verdade, são 49 construções desse tipo, com estilos arquitetônicos diferentes. Erguidas em épocas diferentes, algumas pontes são simples, outras mais suntuosas. Algumas recebem títulos, como a de Maurício de Nassau considerada a mais antiga do Brasil. Algumas estão sobre o rio Capibaribe, outras sobre o Beberibe.

A Corrida das Pontes do Recife 2018

A prova faz parte das comemorações do aniversário de 481 anos do Recife. Sete pontes compõem o percurso total da prova. São elas:
  • do Limoeiro;
  • Princesa Isabel;
  • Buarque de Macedo;
  • Maurício de Nassau;
  • Duarte Coelho;
  • Boa Vista;
  • Giratória.

O evento contou com corridas de
  • 10 km (passa por 7 pontes);
  • 5,6 km (passa por 3 pontes);
  • Crianças (Corrida das Pontinhas) (não passa por nenhuma ponte).

Como foi a Corrida das Pontes do Recife na minha visão...

O dia começou bem cedo e às 6h20 já estávamos no Marco Zero. Pedi para o Uber nos deixar lá porque não sabia como estava a questão do trânsito. Mesmo não sendo muito perto do local da largada (Forte do Brum), foi bom para tirar umas fotinhos, he he he.
Corrida das Pontes do Recife

Corrida das Pontes do Recife
Olha o arco-íris!

Corrida das Pontes do Recife
Parque das Esculturas de Francisco Brennand visto do Marco Zero
Depois do book fotográfico, fomos caminhando até o forte, o que deu aproximadamente 1 km.
Corrida das Pontes do Recife
Forte do Brum
Estávamos nos dirigindo à estrutura da Nunage Running para encontrar nossa amiga Martha, quando ela nos viu no caminho. Como assim conseguimos nos achar no meio da muvuca? Sim, porque estava MUITO lotado o local.

Ficamos um tempo com o pessoal da Nunage Running. Inclusive, gostaria de agradecer ao Nuno, o coach da equipe, pela atenção e pelas camisetas. Serão muito utilizadas nos nossos treinos! Obrigada! 
Corrida das Pontes do Recife
Eu, coach Nuno e Martha

Hora de largar na Corrida das Pontes do Recife

A largada deu uma pequena atrasada, mas nada muito mortal. Eu estava preocupada porque nosso voo tinha sido antecipado pela companhia aérea. 
Corrida das Pontes do Recife
Vamos largar!
Com isso, teríamos que voar para o aeroporto. Mas nada que Martha não resolvesse... Ela conseguiu uma carona para a gente com um amigo dela que passaria perto do nosso hotel. Muito obrigada Martha e Chico!

Nem bem largamos e já passamos pela primeira ponte do percurso: a Ponte do Limoeiro.
Corrida das Pontes do Recife
Chegando à Ponte do Limoeiro
Quando passei por ela, achei que ali tivesse existido alguma plantação de limões. No entanto, ela possui esse nome porque ligava o Recife à cidade de Limoeiro.
Corrida das Pontes do Recife
Na Ponte do Limoeiro
Construída em 1881, ela era uma ponte férrea. No entanto,passou a ser rodoviária em 1966. Hoje é feita de concreto armado e é a última ponte sobre o Rio Beberibe antes de sua confluência com o Rio Capibaribe.
Corrida das Pontes do Recife
Também não podia deixar de aparecer, ha ha ha ha
Dela tem-se uma vista interessante das três ilhas do Recife: Recife, Santo Antônio e Boa Vista, além das colinas de Olinda.

Deixamos a Ponte do Limoeiro e seguimos pela Rua da Aurora com seus prédios históricos.
Corrida das Pontes do Recife
Nossos amigos disparando na frente...

Corrida das Pontes do Recife
Fizemos um pequeno retorno e logo entramos na Avenida Mário Melo. Gente! Ainda era sete e pouca da manhã, mas o sol estava torrante.
Corrida das Pontes do Recife
Lá vem o Sol! Mentira!!! Ele já estava lá há muitoooo tempo...
Rua do Hospício e eu já queria sombra. Socorro!!!!

Viramos para a Rua Princesa Isabel e demos de cara com um prédio lindo. Era a Faculdade de Direito do Recife. 
Corrida das Pontes do Recife
Faculdade de Direito de Recife
Seguimos até a Ponte Princesa Isabel. Ela foi inaugurada em 1863, sendo a primeira ponte em ferro de Recife. No entanto, em 1963, o ferro foi trocado por uma estrutura de concreto armado. 
Corrida das Pontes do Recife
Chegando à Ponte Princesa Isabel

Corrida das Pontes do Recife
Book na Ponte Princesa Isabel
É a última ponte sobre o Rio Capibaribe antes do encontro com o Rio Beberibe. Algumas pessoas a chamam de Ponte Santa Isabel. A confusão aparece porque essa ponte liga a Avenida Princesa Isabel ao Teatro Santa Isabel.
Corrida das Pontes do Recife
Teatro Santa Isabel ao fundo, o motivo da confusão dos nomes

Corrida das Pontes do Recife
Mais book. Tentando sorrir naturalmente quando o sol está torrando você, ha ha ha!
Confusões à parte, sendo Princesa ou sendo Santa, a ponte é linda e possibilita uma panorâmica incrível.
Corrida das Pontes do Recife
Ponte Princesa Isabel

Corrida das Pontes do Recife
Passamos por mais um prédio bonito no caminho. Era o Liceu de Artes e Ofícios. 
Corrida das Pontes do Recife
Liceu de Artes e Ofícios
Em seguida, já chegamos à Praça da República. De um lado vimos o Palácio do Campo das Princesas e do outro o Palácio da Justiça. 
Corrida das Pontes do Recife
Palácio do Campo das Princesas

Corrida das Pontes do Recife
Palácio da Justiça
Tudo muito rápido, pois já vinha outra ponte pela frente: a Ponte Buarque de Macedo.
Corrida das Pontes do Recife
Com 288,3 m, é a mais extensa do centro do Recife. Ela está sobre o Rio Capibaribe. Passada a Ponte Buarque de Macedo, houve a separação dos corredores de 5,6 km com os de 10 km.
Corrida das Pontes do Recife
Ponte Maurício de Nassau ao fundo vista a partir da Ponte Buarque de Macedo
Continuamos até Marco Zero e, de lá, fomos à próxima ponte. A Ponte Maurício de Nassau. Essa ponte merece uma seção especial...
Corrida das Pontes do Recife

Corrida das Pontes do Recife

Corrida das Pontes do Recife
Marco Zero

Corrida das Pontes do Recife
Chegando à Ponte Maurício de Nassau

Ponte Maurício de Nassau

Considerada a primeira ponte de grande porte do Brasil, a Ponte Maurício de Nassau teve sua idealização em 1630. Mudou de nome, foi destruída, teve que ser refeita várias vezes e abrigou um evento MUITO famoso: a história do boi voador.

O boi voador

O Conde de Nassau divulgou que faria um boi voar no dia da inauguração da ponte. Quem quisesse ver isso, deveria pagar. A intenção era arrecadar uma boa grana, já que ele tinha investido dinheiro próprio na construção da ponte.

Como a galera era curiosa, o evento juntou um grande público. O Conde de Nassau realmente fez o que prometeu. No entanto, era lógico que um truque foi aplicado. Usando cordas e roldanas, ele fez um boi empalhado passar de um lado da ponte para o outro. 

Essa ponte é bem decorada com cinco estátuas ao todo.
Corrida das Pontes do Recife
Quatro deusas em pilares nas extremidades da ponte:
  • Sabedoria (Atenas ou Minerva);
  • Agricultura (Deméter-Ceres);
  • Comércio (personificação feminina de Hermes ou Mércurio);
  • Justiça(Têmis).

Corrida das Pontes do Recife
A quinta estátua está no meio da ponte. É a representação do poeta Joaquim Cardoso. Essa escultura faz parte do Circuito da Poesia, um projeto que reúne pela cidade doze esculturas retratando poetas.
Corrida das Pontes do Recife
Voltando à Corrida das Pontes do Recife... Deixamos a Ponte Maurício de Nassau e adentramos a Avenida Guararapes. Um local que chamou a atenção próximo a essa avenida foi a Igreja Matriz de Santo Antônio.
Corrida das Pontes do Recife
Mais uma ponte se aproximava. A Ponte Duarte Coelho. No entanto, fiquei tão impressionada com a beleza da vizinha (Ponte da Boa Vista) que nem fotografei a Duarte Coelho, he he he... 
Corrida das Pontes do Recife
Ponte da Boa Vista ao fundo...
A Ponte Duarte Coelho é também conhecia como ponte Maxambomba. Durante o carnaval, ela serve de apoio ao Galo da Madrugada.
Corrida das Pontes do Recife
Ponte Duarte Coelho vista a partir da Ponte da Boa Vista (para compensar a falta de foto da ponte anterior)...
Mais um pedaço na Rua da Aurora e logo entramos na Ponte da Boa Vista. Ela teve uma construção “the flash”. Em apenas sete semanas ela já estava concluída.
Corrida das Pontes do Recife
Amei essa ponte! Altas fotos nela, ha ha ha
Essa ponte possui quatro pilastras metálicas. Em todas elas há o brasão imperial no alto e datas que sintetizam a história de Pernambuco e do Brasil. Achei a mais bonita de todas as pontes do percurso da Corrida das Pontes do Recife.
Corrida das Pontes do Recife
"Corrida natural", he he he he...
Ainda faltava uma ponte no percurso. Mas, até chegarmos a ela, ainda passamos por alguns locais...

Casa da Cultura. Um centro de comercialização de artesanato da cidade. Era um presídio, que foi desativado em 1973. O artista plástico Francisco Brennand teve a ideia de transformar a antiga casa de detenção em centro de cultura e arte. 
Corrida das Pontes do Recife
Museu do Trem do Recife. O local é considerado o primeiro do Brasil e o segundo do gênero da América Latina.
Corrida das Pontes do Recife
Igreja de São José. Tombada pelo Patrimônio Cultural do Estado de Pernambuco.
Corrida das Pontes do Recife
Forte de São Tiago das Cinco Pontas ou, simplesmente, Forte das Cinco Pontas. Foi construído em 1630, durante a ocupação holandesa nas áreas que hoje abrigam as cidades de Recife e Olinda. O nome é derivado de sua forma pentagonal. Abriga o Museu da Cidade de Recife.
Corrida das Pontes do Recife
Finalmente, a última ponte da Corrida das Pontes do Recife... Ponte 12 de Setembro, a antiga Ponte Giratória
Corrida das Pontes do Recife
Esse nome é porque ela possuía um mecanismo que girava e permitia a navegação no Rio Capibaribe. Em 1971, foi substituída por uma estrutura fixa, ou seja, agora ela não gira mais.
Corrida das Pontes do Recife
Otávio na antiga Ponte Giratória, atual 12 de Setembro
Passamos novamente perto do Marco Zero e seguimos até a chegada. Não sem antes passar em mais uma escultura: O Leão de Nuca. A escultura de sete metros foi para o bairro de Recife para dar as boas-vindas aos que chegavam à cidade.
Corrida das Pontes do Recife
Leão de Nuca
Ele foi feito por Mestre Nuca que tinha por características fazer leões com jubas encaracoladas. O motivo? Homenagem aos cabelos de sua esposa. Será que era só pelo cabelo ou ela era brava como um leão também? Fiquei com essa dúvida!

Terminada a prova, fomos buscar a medalha e o kit lanche. Isso que achei um ponto negativo. Muita gente, muita fila e poucos locais para entrega. 

De lá, seguimos novamente para a estrutura da Nunage Running. 
Corrida das Pontes do Recife
Martha, Otávio, Nuno, eu e Chico!
Ficamos conversando até a hora de pegar nossa carona de volta ao hotel. 
Corrida das Pontes do Recife
Feliz por tudo ter dado certo e estar voltando a tempo para pegar o avião.
Mais uma vez, obrigada a Martha, Nuno e Chico por tudo!

Bom, acho que hoje falei demais, né? Espero que você tenha gostado! E aí? Já fez a Corrida das Pontes do Recife? O que achou dessa prova? Escreva aqui nos comentários... Vou adorar saber...
Corrida das Pontes do Recife
Até a próxima, Recife!
Até domingo! E com uma novidade, he he he...

Um super beijo,

Carolina
O vídeo sobre a Corrida das Pontes do Recife será publicado em breve lá no nosso canal do Youtube.
Inscreva-se no Canal Viajar correndo para não perder as novidades...

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter



Reserve nos parceiros do blog Viajar correndo:

Produtos com desconto


Sobre o Autor:
Carolina Belo Sou Carolina Belo, Bióloga e Turismóloga. Busco sempre ser feliz e ver o lado positivo de tudo o que acontece na vida. Gosto de viajar e participar de corridas pelo mundo.

2 comentários:

  1. Oi, Carol... Sempre ouvi falar da Corrida das Pontes do Recife, mas nunca me ative aos detalhes. Pensei até que fosse bem mais extensa do que 10 km. Agora sei tudo, pois acabo de corrê-la contigo neste post... Vou até beber uma água! Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha ha ha ha, adorei Bira!!!! Mesmo sendo de 10 km, vale a pena ir até lá para participar! É muita história concentrada em um percurso!!!!!
      Muito obrigada!
      Super beijo,
      Carolina

      Excluir

Obrigada pela visita. Fique à vontade para dizer o que achou do post... Seus comentários são super bem-vindos... Um super beijo...

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search